[Artigo] Exames de rotina e quarentena.

[Artigo] Exames de rotina e quarentena.

Tempo de leitura: 3 minutos

Após o início da pandemia do COVID-19 muitas coisas mudaram no cotidiano de pessoas no mundo todo. Por recomendação dos órgãos públicos muitos se afastaram de seus trabalhos, escolas, atividades relacionadas a lazer, entre outras coisas. Sendo assim por precaução ocorreu também um grande número de cancelamentos de consultas, exames e cirurgias. O foco agora é combater o vírus, mas é inegável os efeitos que isso acarretará nas demais áreas da saúde e de maneira especial na oncologia.

O isolamento social é extremamente importante nesse momento, mas determinados compromissos com relação a nossa saúde não podem esperar ou ser adiados por muito tempo. Alguns exames de rotinas como mamografias, papa Nicolau, colonoscopias, hemogramas, exame de toque retal, entre outros estão ficando para trás, e são através deles que muitas doenças são diagnosticadas precocemente, entre elas o câncer. E se há uma patologia que não pode esperar é o câncer, não é mesmo?!

Os pacientes oncológicos que já possuem esse diagnóstico estão dando continuidade em seus tratamentos normalmente, realizando suas medicações, exames e consultas com cuidado redobrado, embora o número de cirurgias oncológicas tenham caído significativamente desde o início da pandemia.

A maior preocupação agora está em diagnosticar os novos casos.

No dia 13 de maio de 2020, o jornal “O estado de São Paulo”, publicou uma matéria dizendo que desde o início da pandemia no Brasil, ao menos 50 mil brasileiros deixaram de ser diagnosticados com câncer.

Um outro estudo realizado nos Estados Unidos pelo instituto de ciência de dados humanos (IQVIA), mostrou que mais de 80 mil diagnósticos dos 5 cânceres mais comuns podem ser perdidos ou adiados até o início de junho devido a interrupção dos cuidados em saúde desde o início da COVID-19.

Sabemos que um fator agravante é que muitos locais onde esses exames são realizados como consultórios e centros de diagnósticos fecharam as portas ou permaneceram abertos apenas para emergências, sem contar os usuários dos serviços públicos que sofreram ainda mais esses impactos.

O dilema é: ir ao médico e correr riscos com relação ao COVID-19 ou ficar em casa e correr o risco de um diagnóstico tardio?

Por isso a importância da informação de que é possível realizar exames e consultas em ambientes separados, sem aglomerações e de maneira organizada e segura.

Sem dúvidas o isolamento social e os cuidados tomados são importantes para contermos a transmissão desse vírus, mas não podemos deixar de lado os demais cuidados essências a nossa saúde. Então se organize, tome os cuidados necessários, contate o médico que já te acompanha ou procure um clínico geral para mais informações, e não deixe de fazer seus exames de rotina.

Referências:

  1. ROBBINS, Rebecca. Routine cancer screenings have plummeted during the pandemic, medical records data show. Stat health tech, São Francisco. 4, maio de 2020;
  2. FRANKI, Richard. Three Months of COVID-19 May Mean 80,000 Missed Cancer Diagnoses. Medscape.  05, maio de 2020;
  3. CAMBRIOCOLI, Fabiana. O estado de São Paulo. Pandemia do coronavírus faz ao menos 50 mil brasileiros deixarem de ser diagnosticados com câncer. 13, maio de 2020;
  4. SUD, Amit at al. Collateral damage: the impact on cancer outcomes of the COVID-19 pandemic. 29, Abril de 2020;
  5. SHORT, Donna. How COVID-19 affected getting my cancer diagnosis. 28, Abril de 2020.

Se você gostou desse artigo compartilhe com seus amigos. Caso tenha alguma dúvida ou sugestão deixe seu comentário abaixo.

Cadastre seu e-mail pra ficar por dentro de todas as novidades.

Conheça a H.C.Saúde.

Veja também meu outro artigo sobre “Dormência nos pés”.

Clique no meu nome pra saber mais sobre mim.

Um grande abraço,

Caroline C. Dias Goes
Fisioterapeuta – H.C.Saúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *