[Artigo] Osteoartrose, mulher e envelhecimento.

[Artigo] Osteoartrose, mulher e envelhecimento.

Tempo de leitura: 2 minutos

A osteoartrose é uma afecção dolorosa das articulações que ocorre por insuficiência da cartilagem, ocasionada por um desequilíbrio entre a formação e a destruição dos seus principais elementos, associada a uma variedade de condições como: fatores mecânicos, genéticos, hormonais, ósseos e metabólicos.

Sabe-se que as possíveis causas de dor na osteoartrose relacionam-se ao aumento da pressão intra-articular pelo crescimento dos osteófitos (bico de papagaio), sinovite, fibrose capsular e contratura muscular.

Clinicamente, a osteoartrose compreende um processo crônico-degenerativo que se caracteriza por dor, rigidez matinal, crepitação óssea (estalos) e hipotrofia muscular (diminuição da força muscular).

O período mais comum do desenvolvimento dessa doença é entre 50 e 60 anos, porém na maioria das vezes ela é assintomática, ou seja, o individuo não sente dor. A incidência da osteoartrose sintomática aumenta após os 65 anos de idade.

É a doença articular mais prevalente e a principal causa de incapacidade funcional no idoso. A osteoartrose do joelho é a quarta causa mais frequente de problemas da saúde da mulher idosa.

Entretanto, antes se acreditava tratar-se de uma doença progressiva, de evolução arrastada, sem perspectiva de tratamento encarada como um processo natural do envelhecimento. Hoje isso mudou, e é vista como uma enfermidade em que é possível modificar o seu curso evolutivo, tanto em relação ao tratamento sintomático, quanto ao seu prognóstico.

Porém, no momento não há cura conhecida para a osteoartrose, e o tratamento deve ser multidisciplinar, com profissionais da área médica, fisioterapia e educação física, buscando melhorar a dor, a função e principalmente a qualidade de vida do paciente. A acupuntura pode ser uma excelente opção, que somada ao tratamento oferece ótimos resultados.

Fontes Bibliográficas:

DUARTE V. de S.; SANTOS M. L.; RODRIGUES K. de A.;RAMIRES J. B.; TINOCO G. P.; BORGES A. G. F.; Exercícios físicos e osteoartrose: uma revisão sistemática Fisioter. Mov., Curitiba, v. 26, n. 1, p. 193-202, jan./mar. 2013.

ALMEIDA, Akeline Santos de et al. Influência do sobrepeso na capacidade funcional de mulheres idosas fisicamente ativas. Rev. bras. cineantropom. desempenho hum. [online]. 2020, vol.22, e67000.  Epub Apr 03, 2020. ISSN 1980-0037.

CAMANHOG. L.; IAMAMURA M.; NIESEN L. A.;Gênese da dor na artrose Rev. bras. ortop. vol.46 no.1 São Paulo  2011.

COIMBRA I. B.; PASTOR E. H.; GREVE J.M.D.; PUCCINELLI M.L.C.; FULLER R.; CAVALCANTI F.S.; MACIEL F.M.B.; HONDA E.; Osteoartrite (artrose): tratamento Rev. Bras. Reumatol. vol.44 no.6 São Paulo Nov./Dec. 2004.

Se você gostou desse artigo compartilhe com seus amigos. Caso tenha alguma dúvida ou sugestão deixe seu comentário abaixo.

Cadastre seu e-mail pra ficar por dentro de todas as novidades.

Conheça a H.C.Saúde.

Veja também nosso artigo sobre “Mobilidade e independência funcional do idoso”.

Clique no meu nome pra saber mais sobre mim ou entrar em contato comigo por whatsapp.

Um grande abraço,

José Renato Kuhnen de Oliveira
Fisioterapeuta – H.C.Saúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *